Não aceito desculpas.

Nem todo mundo tem direito à defesa, não.
Quem mata, sem pena e friamente menos ainda.
Hoje faz cinco anos que um canalha mandou a jovem Fabiana Weiand pra longe do convívio terreno. Onde ela está? Longe de nós, pelo menos fisicamente, e ele? Perto de nós, solto, na faculdade, na rua.
E agora? Nada a fazer apenas contentar-se em que a justiça é falha, que a nossa vida é nada, e é pouca coisa matar alguém!
Não tem perdão, não tem desculpa, tem viver no seu inferno interir e saber que isso tudo é inferno em volta de nós e dentro…
Sem justiça, não sei, a coisa tende a piorar…

Sobre tatuagem:

– Tu tem tatoo?
-Tenho, e tu?
– Também, mas tu não sabia né?
– Não, e o que é?
– Esse tubarão (mostrando a figura… com dentes afiados bem a mostra com cara de quem vai te comer) Acho ele simpático…
E eu, sem noção respondo:
– ACHO SIMPÁTICAS COISAS QUE TÊM CARA DE QUE VÃO ME COMER

É isso que eu chamo de tendência de auto atualização!

Façamos o mundo girar… porfiiii

O sexo é a energia que move o mundo!
Há quem discorde e há muitos outros que não. Como eu…
O sexo é instintivo, animal, enquanto ato sexual, enquanto penetração, ou tão somente gozo, ejaculação. Mas quem como eu é muito fã do assunto, sabe, fazer amor e ter prazer “multisensorial” está muito além do instintivo, do ato reprodutivo, e é privilégio dos que têm desprendimento, emocional, físico, material, dos que fazem “sinapses mais abertas”… O sexo elaborado, no que tange sensação toque, olfato, audição, sem as falsas ilusões de um orgasmo interminável, ou então com o foco voltado apenas para ele, vai além, e é amor… Permitir-se penetrar, ser penetrado, trocar saliva, pêlos, apreciar com todos os sentidos o outro são coisas que caminham ao infinito.
Intimidade, amor, carinho, sem posse e com ser possuído e possuir totalmente. Sexo é instante, momento, mágico, safado e puro como a menina doce que fui. Sorver o prazer do outro é também toma-lo para si, respirar ou outro é permitir-se e permitir-lhe estar dentro de outra pessoa, e por tudo isso o sexo é algo tão íntimo.
Lamber cheirar acariciar, tocar, chupar… ir até o fim, sem os pudores dos mortais, e sem a animalidade dos filmes de sexo. Beber o outro, tomar seu gozo para si, porque é bom, e nada mais é do que o outro, presente, dentro da boca, e ele foi escolhido, não necessariamente para uma relação, mas para aquela relação, para aquele momento. Se quem escolhe tem discernimento, quem faz amor, faz porque quer, e nesse caso é justo tomar do outro e apoderar-se um pouco mais dele, tomar do seu prazer, o fim, que alcançam juntos.
As pessoas acabam por separar-se porque não mantêm um bom nível de intimidade sexual, ou porque tiram, e colocam no sexo, mais ou menos responsabilidade do que realmente tem, colocam nesse ato quase religioso toda a loucura diária.
Sexo não salva relacionamentos, mas é mais da metade deles. Relaxa, aumenta a auto-estima, estimula os sentidos, faz as pessoas se quererem, afirma as amizades, adoça casamentos e apimenta tudo.Abre o apetite, faz esquecer um pouco a dor do mundo.
E óbvio, perpetua a espécie…

19/10/2004