…C’est la vie.

Odeio dsligar a luz num momento íntimo, transar no escuro.
Eu gosto de pele na pele, olho no olho. Mão, pé, braço e toque. Gosto de ver, sentir, tatear, provar. Gosto do gosto, do cheiro, do som e da cor.
Sempre. De tarde, de manhã, no meio da madrugada e antes de dormir.
Em todos os lugares, de todos os modos, de meia.
Gosto do toque dos seios no peito.
Das mãos que apertam as últimas costelas, descem, seguram o quadril.
Gosto da respiração ofegante, das palavras sujas, da língua quente que toca a orelha.
Dos dedos entre os cabelos, a mão que cala a minha boca.
A saliva. Que excita.
Gosto do suor, do pé que roça no meu.
Do braço estendido depois do amor.
E eu durmo… Porque é suave, é bom, confortável e aconchegante.

Anuncios