Casar ou comprar uma bicicleta?

Caríssimos leitores, como bem diz o Chico Buarque em mais uma de suas composições incríveis:
 
“Eu faço samba e amor até mais tarde
e tenho muito sono de manhã
escuto a correria da cidade
que arde
e apressa o dia de amanhã

De madrugada a gente ainda se ama
e a fábrica começa a buzinar

O trânsito contorna a nossa cama
reclama, do nosso eterno espreguiçar

No colo da bem-vinda companheira
no corpo do bendito violão

Eu faço samba e amor até mais tarde
e tenho muito mais o que fazer

Eu faço samba e amor até mais tarde
e tenho muito sono de manhã

Escuto a correria da cidade
que alarde
será que é tão difícil amanhecer?
Não sei se preguiçoso ou se covarde
debaixo do meu cobertor de lã
eu faço samba e amor até mais tarde
e tenho muito sono de manhã”

 
Infelizmente as correrias depois das férias me impedem de manter este blogue de forma satisfatória. Mas aqui da “redação” consigo publicar um texto por e-mail:
 
“Beleza não é tudo, mas com certeza é mais de 70 por cento, já dizia o Luís, que, infelizmente namorava uma guria bacana, mas feia. Feiosa.
O amor faz dessas coisas, eu tive sorte, a minha namorada, minha esposa e a mulher da minha vida são exatamente a mesma pessoa, e além de linda, inteligente e bem educada, ela é uma louca divina, a Vênus em chamas, é finíssima, mas também é uma puta, daquelas que deixaria tristes as atrizes de filmes pornô. A minha esposa é simplesmente A MULHER. Eu já disse, antes dela, todas as outras com quem estive (e eu estive tão mal até aqui…) estão no mesmo bolo. Ela não se presta a comparações, nem afetivas, nem sexuais, nem de caráter. Com ela descobri que é errando e comendo mulher feia, fazendo esforço pra ficar de pau duro, engolindo com nojo as polacas flácidas que a gente descobre quem é imprescindível, e é essa que eu mereço.
Ela em alguns dias, reclama, xinga, briga, mas quando ela chega perto, é impossível resistir, confesso, sinto ciúmes, mas, sei quem é a minha esposa, e conheço seu potencial…
Ela chega me chupa, morde, lambe, vai até o final. Eu gozo jatos quentes que lhe descem pela garganta, e, quando eu acho que cansou, ela vira pra mim e diz: “Mais, me dá mais, quero mais!!” Senta no meu colo, goza no meu pau, e só dorme quando está definitivamente exausta, suada, molhada, gozada, e assada.
Ela foi mãe, e tem seios grandes, pernas fortes, ossos e músculos. Tem um cheiro que me deixa meio desconcertado, tanto de perfume… Porque escolher perfume também é uma arte, e o cheiro que ela escolhe pra ela é dela, é ela e eu amo ambos. E tem o cheiro próprio, entre as pernas, na buceta, na bunda, nas costas. E eu gosto deste também. Sempre que possível (e sempre é) eu mordo a polpa da bunda, e aproveito pra enfiar o nariz lá no meio. E com o nariz aproveito pra meter a língua, lamber o cu, a buceta, tudo. Gosto de cheirar e também de lamber.
Tem homem que sai com a terceira pessoa, com outra, eu não quero, nem preciso. A minha me faz feliz, me dá prazer, me ama. Faz amor como uma virgenzinha e de repente, incorpora essa louca que faz amor e trepa, fode, firme, intenso, gostoso.
Enchi o saco dessas gurias, afinal de contas dezessete é a mesma coisa que vinte e três… São umas gurias. A minha é também, fresca, cara de jovem, reclamando de gordura e flacidez. Mas ela sim é uma mulher…
Frequenta botecos e bistrôs com a mesa delicadeza, com a mesma fineza. De sorriso e olhos grandes, de dentes alinhados, de maturidade jovem de mulher sem xiliques.
Eu faço questão de comê-la todos os dias, primeiro para fazer-lhe o bem, e segundo, pra me presentear com essa dádiva, que é minha só minha. Linda, que eu paro pra assistir, seja no banho, seja lavando louça, trabalhando, escrevendo, trepando ou fazendo xixi. Tenho todas em uma só. A intelectual, pervertida, puta, mãe e esposa. É a minha executiva, professora adorada pelos alunos, a cunhada querida das minhas irmãs e dos meus irmãos, a nora favorita da minha mãe.
Deve ser também por isso que eu encosto nela e meu pau endurece, e por mais cansaço do dia, sono, preguiça, o tesão me consome, e eu passo a língua no mamilo, aperto, ela se enrosca, se arepia, treme e ri.
Estou em ritmo acelerado. Trepando pelo menos Três vezes ao dia. E ela gozando numa proporção dois pra um.
Eu já comi o pão que o diabo amassou. E era bem ruim. Tenho ânsia de vômito de pensar que eu trepei com outras.
A minha não… A minha vai ficar velha, vai seguir linda, gostosa e com esse cheiro que só ela tem. E eu vou seguir aqui, metendo ferro!
Da nossa casa, sentindo o teu cheiro no lençol, de pau duro só de te imaginar…
EU TE AMOOOOOOOO!!!!
TU É A MULHER DA MINHA VIDA! A MELHOR, A ÚNICA Q TIVE, LINDA.”
 
 
Eu acho que o cara que escreveu esse texto sabe o que diz e o que faz!!!!
Pena que ele é um (des)conhecido
Nice one!