Etienne López – A groupie brasileira

Em dias de banalização de tudo, ousam nascer pelos backstages já sem glamour, groupies de todas as idades, de todos os tamanhos e de todas as raças. Odiadas por muitos e muito amadas por outros elas são diversão garantida para os astros do rock (e só contam os do rock) ao mesmo tempo que os astros também são diversão e pontuação garantida para elas. Em entrevista a este blog falou conosco Etienne López. Já com 40 anos, uma filha de 20 ,descendente de argentinos, bilíngue, ela contou-nos sem pudor o que acontece com uma groupie sul americana. Despojadamente vestindo jeans, cachecol roxo e camisa branca, nos recebeu em seu apartamento numa capital bastante arborizada do sul do brasil. Área nobre, espaço amplo, muitos livros, discos e fotos, sem muitos rococós, a decoração é formada por lembranças, fotos e alguns souvenirs:

ELCA – Como se sente tendo estado com pessoas e feito coisas que muitos gostariam de ter feito?

Etienne – Me sinto bem, realizada. Não é meu ganha pão, nem minha profissão, era um “hobbie fino” da minha juventude, digamos assim. Eu queria fazer, ia lá e fazia, se não queria eu ia embora. Dizia não e dava tchau.

ELCA – Quando começou a sair e ficar com músicos?

Etienne – Ih, já faz muito tempo, era bem adolescente, uns 16, 17 anos mesmo. Era uma questão de vaidade. Olhava e aqueles caras pareciam tão intocáveis, tão maravilhosos que eu dizia pra mim mesma: “Sim, vou lá, vou ficar com esse cara” E ia lá e ficava.

ELCA – E as amigas?

Etienne – Morriam de ciúmes, e umas ainda morrem, porque entravam nos camarins e queriam fazer, mas não faziam. Eu não, chegava cheia de charme e sabia que aos 17 anos, não tinha rockstar de 40,50 anos que pudesse resistir.

ELCA – E a relação que fazem entre groupies e prostitutas, tem a ver?

Etienne – Claro, hoje em dia elas fazem por grana, fazem por cocaína, fazem por um baseado.Eu não, fazia por amor, não ao músico em si, mas à “entidade” do rock. Eu só ia e ficava quando EU queria, não era assim, com dezessete anos eu era independente, fazia faculdade, morava sozinha, neste mesmo apartamento. Não me drogava, bebia um pouco, mas não interferia na rotina dos músicos, nem da equipe, na verdade na minha época as groupies eram da equipe da banda. Era da técnica.

ELCA – Tem algum segredo?

Etienne – Sim, tem vários. Tem nomes que eu jamais vou revelar, de cantores e músicos que fizeram músicas e carreiras baseados em relacionamentos sérios, firmes. Mas tem segredos que são reveláveis sim. Tu queres saber segredos íntimos ou segredos para ser uma boa groupie?

ELCA – (risos) Eu queria saber dos dois.

Etienne – Bom, para ser uma boa groupie, primeiro tem que ser uma groupie boa. Hoje eu tenho doze kilos a mais do que eu tinha aos dezessete anos, o que significa que eu nunca fui magrinha, mas sempre fui muito interessante. As modelinhos que andam por aí denigrem a nossa imagem, elas querem sair com os astros, transar, engravidar e ter um filho pra garantir uma pensão gorda. Claro que se houver uma relação, se houver sentimento, acontece. Só não pode enganar um homem, que diga-se de passagem é a criatura mais fácil de ser enganada. Mas a groupie não é uma mulher, amante, ou uma fã retardada. Nós somos em primeiro lugar amigas dos músicos, críticas e verdadeiras. Para ser bem sucedida precisei estudar muito, saber alguma coisa de música, que não seja só a música de trabalho do astro “alvo”, conhecer as influencias, a história de vida, saber o nome dos instrumentos, as marcas, o valor que eles tem. Eu nuca falei muito e nunca fiquei contando por aí com quem eu ficava. Era um posicionamento de aparecer na sombra. Eu apareço nas fotos, tenho os registros, mas o que a imprensa divulgou foi sempre … superficial, extra oficial e inexato.

ELCA – É um comportamento escorregadio?

Etienne – É.

ELCA – E tu tocas algum instrumento?

Etienne – Se eu contar… (risos) Tocava… Fiz técnica vocal, aprendi um pouco de música clássica, cantei no coro na faculdade, e comecei a aprender piano, conheço partitura, notas, sabia dizer se estava afinado, se tinham, errado o tempo. Claro, anos de flamenco me ajudaram na questão do ritmo. Mas parei de tocar (risos)
 
… em breve a segunda parte

Desaluz

Cuando me rompiste la remera me gustó
un hechizo para mí vos desesperación
antes que des a luz
vos sabes que no pregunto no preguntes vos
asi la aurora no pregunta nada al sol
antes que des a luz
antes que des a luz.

Cuando te abrazas a mí no puedo respirar
me estas asfixiando con tu libertad

nadie se queda al fin, y al fin nadie se va
que suerte es este hermoso amanecer
tus ojos me dicen que existe el misterio
y es imposible que no queme el sol
y vos te venís tan loca
es el amor que no sabe fallar
y vos te venís tan loca
y tu corazón se vino así mi corazón
despegarlos es un crimen en cárcel es amor
antes que des a luz
aunque que no des a luz
vas a encender la luz.

Solo precisamos una casa
amarilla bajo los cielos del sur
te amaré sin razón
antes que des a luz

Escuchándolo en los auriculares, caminando por estas mañanas frías, es una sensación indescriptible, y es, encima inevitable no conmoverse. Rodolfo tiene eso, incluso conmigo, somos ese tipo de pareja que se entiende en otras esferas de la existéncia. Fito es un groso. Lo oigo, porque me gusta muchísimo la música, pero las letras me re emocionan. Y yo lo grito entre los que están conmigo: CON QUÉ DERECHO, CHE??? CON QUE DERECHO ME HACÉS EMOCIONAR DE ESTA FORMA, ME DEJÁS CON ESAS GANAS DE GRITAR. Y ME EMOCIONA TANTO QUE PARECE QUE SERÍA NECESARIO MORIR.
Fito: “Cuando te abrazás a mi no puedo respirar, me estás asfixiando con tu libertad…” Quizás sea la asfixia que siento cuando lo escucho…Hasta me duelen los huesos y el corazón. El tiempo transforma todo amor en casi nada, pero casi también es un detalle, un gran amor no se va a morir así… Por eso a veces te acordarás de mi… RC

Pra quem não sabe como é:

Como reconhecer que você teve um orgasmo

– Podem acontecer contrações involuntárias da plataforma orgástica (parte externa da vagina)

– O clitóris fica ereto e sensível ao toque

– Os lábios vaginais ficam inchados e podem ficar mais escuros

– A respiração, a pressão sanguínea e os batimentos cardíacos aumentam

– Perde-se o controle muscular voluntário, podendo ocorrer diversas contrações de músculos, do rosto, braços e pernas

– Segundos depois do orgasmo, pode aparecer uma sensação de relaxamento e tranquilidade

Fonte: Minha vida

A importância do vazio.

Tens o hábito de juntar objetos inúteis acreditando que um dia (não sabes quando) vais necessitar deles? Tens o hábito de juntar dinheiro sem gastá-lo, pois imaginas que ele poderá faltar no futuro? Tens o hábito de guardar roupas, sapatos, móveis, utensílios domésticos e outras coisas que já não usas há muito tempo?
E dentro de ti?… Tens o hábito de guardar raivas, essentimentos, tristezas, medos e outros sentimentos negativos?
Não faças isso!  Vai contra a tua prosperidade!
É preciso deixar um espaço, um vazio para que novas coisas cheguem à tua vida.  É preciso se desfazer do inútil que há em ti e em tua vida para que a prosperidade possa acontecer.
A força deste vazio é que atrairá e absorverá tudo o que desejas. Se acumulares objetos e sentimentos velhos e inúteis não terás espaço para novas oportunidades. Os bens necessitam circular. Limpe as gavetas, os armários, o depósito, a garagem… A mente…
Doe tudo aquilo que já não usas… 
A atitude de guardar um monte de coisas inúteis só acorrenta a tua vida. Não são só os objetos guardados que paralisam a tua vida.
Eis o significado da atitude de guardar: quando se guarda, se considera a possibilidade de falta, de carência… Acredita-se que, amanhã, poderá faltar e que não haverá maneira de suprir as necessidades… 
Com esse pensamento, estás enviando duas mensagens ao teu cérebro e à tua vida: A de que não confias no amanhã, e que o novo e o melhor NÃO são para ti…
Por isso te alegras guardando coisas velhas e inúteis. Até o que já perdeu a cor e o brilho…
Deixa entrar o novo em tua casa… E dentro de ti…

Coisas para (não) se dizer

  • Quero mais é que tu morra!
  • Tua mãe é mais!                                                                                       ou
  • Tua mãe também.
  • Não é a mãe que é puta, o pai que é corno.
  • No meu cu não, no teu!
  • Ok, não me importa!
  • Não te conheço, não te ouço!
  • Com a tua idade eu já tinha parado com essas baboseiras!
  • Esse teu comportamento eu larguei quando eu tava na sétima série.
  • Não enche que eu estudei em colégio de freira.
  • Eu avisei que devia ter estudado, mas não tanto assim.
  • Não bem, eu não me acho. Foi tu que me procurou!
  • Não, não me acho eu sou, e tu não é!
  • Toca RAUL! (toca na tua casa e soca no teu cu)
  • Foi meu, é teu, e logo vai ser de outra!
  • Grande? Ah, não, tu acha mesmo que teu pau é grande?
  • Cala a boca sua gorda! (essa pode matar)
  • Fica quieta que tu é feia e eu tô com medo!
  • Já tentou te tratar? Acho que tu tá com algum transtorno.
  • completando… Não deve ser de humor, eu acho que é de personalidade.
  • Aqui eu tô sozinha, mas o meu marido vem vindo aí atrás de ti com uma cara…
  • Sim, tô com a banda, com toda ela.
  • Sim, sou bissexual, mas quero pegar é a tua irmã!
  • Nem tenta…
  • Me mira, mas pelamordedeus, me erra.
  • Por que tu não estica o pau e enfia ele no teu cu pra ver se dá barato?
  • Sua retardada!
  • Como se não bastasse tu ser feia e gorda ainda por cima é malcriada.               

ou, melhor…

  • Tu ser feia e gorda é uma coisa, agora tu ser ridícula, aí á falta de esforço.
  • Ouvir essas merdas que tu tá dizendo ainda é melhor do que eu ser surda.    

ou…

  • Ler essa porra ainda foi melhor do que ter nascido cega!

Comemorando a sexta feira com garoa.
Melhor do que isso só quando a noite chegar…
Nham nham nham.
Não, eu não tô de mau humor, o texto é de ficção!