Espere o momento

Antes de fazer amor, sente-se em silêncio junto a seu parceiro durante 15 minutos, segurando as mãos um do outro: sua mão esquerda segurando a mão esquerda de seu parceiro e a direita segurando a direita.

Sentem-se no escuro ou na penumbra e entrem em harmonia. A melhor forma de fazer isso é respirar como se fossem um único organismo — não dois corpos, apenas um. Dentro de dois a três minutos vocês estarão no mesmo ritmo.

Olhem nos olhos um do outro com suavidade e apreciem o momento. Toquem um no outro. Não comecem a fazer amor, a menos que o desejo surja espontaneamente. Espere por esse momento. Ele virá um dia e o amor será profundo e silencioso como o oceano. Mas espere esse momento, não o force. Se ele não vier, vão dormir, não há necessidade de fazer amor.

Fazer amor é como meditar. É algo que deve ser desejado e apreciado muito lentamente, de forma que seu ser esteja profundamente fundido nesse ato e o transforme em uma experiência tão transbordante que você não esteja mais presente. Você não está fazendo amor, você é amor.

O amor transforma-se em uma energia muito maior em torno de vocês. Ele transcende ambos; vocês dois estão perdidos nele. Mas será preciso esperar até que esse momento chegue. Deixe a energia se acumular e fluir em seu próprio ritmo. Aos poucos vocês começarão a ver os primeiros sinais, o prelúdio, e já não haverá dificuldade alguma.

Osho, em “Uma Farmácia Para a Alma”

A long time ago…

Esse teu jeito de falar macio
Misterioso, sedutor…
Me faz tremer, banhar-me em suor…

Aos meus olhos pareces uma fera no cio
Tua impetuosidade, não consigo explicar
Abraços e beijos, desejas mas não imploras
Se não acontecem, colocas as garras de fora

Como uma fera, me devoras com o olhar
Mais te assemelhas a um animal predador
Forte, atraente, dominador…

Com esses olhos que brilham como chama!
Gosto dessa tua braveza
Nela vejo simplicidade e pureza
Próprios de uma fera que não se doma, se ama
!

Es tarde ya…

Esta mañana estuve con vos,
no es que no quisiera
es que ya no somos los mismos de ayer
Nos fuimos a vivir nuestras vidas,
salimos de aquél amor desamor.
En hechizo se acabó,
el encanto se fue con el mar.
Las pastillas nos rompieron la calma.
Mientras nos golpeamos con ese amargo dolor del odio.
Mientras nos cortamos la carne con ese ágrio rencor…
Te fuiste con los tuyos, que tampoco tuyos son.
Yo me quedé en aquel verano.
Bajo el agua, en el mar.
En el banco de un parque te dije que no
Ya no más, nunca más, jamás.
Me fui porque siempre me voy
Con ese corazón roto de siempre,
Con esa lástima de haberte conocido.
Con esa mufa que no se corta así nomás.


02 de agosto!!!

Este 2 de agosto la Argentina celebrará por primera vez en su historia el Día del Hijo de Puta.
Se fijó esa fecha porque ese día, pero en 1925, nació el ex teniente general y dictador Jorge Rafael Videla. Este 2 de agosto, Jorge Rafael Videla cumplirá 85 años, lo celebrará en una prisión en Córdoba y usted también puede sumarse a la fiesta del ex dictador, asesino, secuestrador, apropiador de niños y torturador.

Que este 2 de agosto, ningún hijo de puta se quede sin saludo.
 
Por eso, a vos que venís a visitarme, sin dejar ni siquiera un saludito, cliqueado locamente, chusmeando las cosas, como si fueras a encontrar algo que pueda arreglarte la vida…
Feliz Día!!!!