simple

please give me some students. – I won’t leave them.

adultos são chatos, seus ofícios, manias, histórias são, como eles, sofríveis.

adultos são pernósticos e se emcionam mais com uma conquista material do que com um novo bichinho de estimação.

quanto mais adultas são as pessoas menos brilhantes e honestas me parecem.

não quero lê-las, interpretá-las, entendê-las, se nem ao menos elas têm a capacidade de o fazerem por si mesmas.

carnaval é festa da carne. na sexta feira santa não se deve comer carne.

que merda de ingerência a igreja tem no consumo de proteína animal?

o papa é que apita isso?

sei que estou cansada, e sei o quanto isso é chato.

não quero retornar ao inferno. e, ao que tudo indica é justamente para lá que eu vou.

em buenos aires doeria em espanhol, eu estaria “recansada”… mas não. é aqui, nesse fim de mundo, com gente que eu jamais conheceria.

não frequento os mesmos lugares, não ouço as mesmas músicas, não conheço nem inimigos nem parentes próximos. eu nunca as conheceria.

simples como a luz, e, ao mesmo tempo tão complexo, vejo a fragilidade daquilo que nunca existiu. em nada muda minha vida o fato de que exista ou não, exceto que não me é caro, nem me importa;

surpreende-me o exagero humorístico desenfreado, sabendo que causa desconforto e mágoa. e lamento, só tenho a lamentar.